BUDISMO SHIN – INTRODUÇÃO

Introdução ao Budismo Shin.

Esta escola do Budismo é conhecida como Jodo Shinshu ou Budismo Shin, foi fundada pelo Mestre Shinran (1173 – 1262) no Japão, consiste de dez ramificações. Esta em particular é formalmente chamada de Shinshu Otani-há e comumente considerada como Higashi Honganji. Seu fundamento é baseado em três sutras: o grande sutra, o pequeno sutra e o sutra da meditação.  Eles são à base dos ensinamentos do Budismo da Terra Pura.

A tradição da Terra Pura se desenvolveu na China, mas não se tornou uma denominação separada até o século XII até o surgimento do Honen (1133 – 1212), mestre de Shinran. Honen foi um monge no monastério da escola Tendai no monte Hiei perto de Kyoto. Estando ele insatisfeito com o caminho monástico tradicional ao tentar alcançar a iluminação pelas praticas ascéticas que tornou o Budismo inacessível para muitas pessoas. Honen escolheu o ensinamento do Budismo, a recitação do Namu Amida Butsu (tomar refugio no Buddha Amida). Portanto, ele deixou o monte Hiei para compartilhar o ensinamento com aqueles incapazes de realizar praticas pelo outro poder.

Shinran compartilhou o mesmo caminho. Ele entrou para a vida monástica aos nove anos de idade e levou vinte anos estudando os ensinamentos da Escola Tendai. A experiência, porem, o deixou com sentimento vazio e longe da iluminação que o Buddha havia descrito. Ele deixou o monte Hiei em 1201, e juntou-se a um grupo já estabelecido por Honen. Shinran viu em Honen um modelo de mestre totalmente diferente que se considerava antes de mais nada como um colega de estudo, uma pessoa que mostrava uma humildade total em todos os aspectos de sua vida.

Através de Honen e do ensinamento do Nenbutsu, Shinran descobriu um caminho totalmente diferente do Budismo.

Ele lutou com o fato de que a aquisição do conhecimento e pratica durante duas décadas não o fizeram uma pessoa melhor. Na realidade, esta experiência o deixara mais arrogante e com o sentimento de superioridade perante aos outros que não haviam realizado as mesmas praticas que ele.

Portanto, como resultado, Shinran sentia-se cada vez mais longe da iluminação que ele viu no modelo de Shakyamuni, em Honen e no ensinamento do Nembutsu, ele compreendeu que o Budismo era realmente universal e que faz tornar claro para todos que pudessem ter a consciência de uma apreciação honesta de si mesmo. O budismo da Terra Pura tem sido descrito erroneamente como uma versão Teísta (pg12) do Budismo, com o Buddha Amida no papel de um deus que conduz a todos para a salvação, simbolizado como o nascimento da Terra Pura. A interpretação de Shinran porem era de que o Buddha Amida não era um Buddha místico que prometeu salvar a todos que repetissem o seu nome, mas sim um símbolo do Dharma em si.

É, portanto, um ensinamento que causa a verdadeira compreensão de uma vida de sofrimento que Buddha descrevera e a ignorância que o cria. Era um caminho que mostrava que o despertar era acessível a todos aqueles que lutam para sobreviver, mas que não possuem as oportunidades de viver em monastérios e devotar-se ao estudo e treinamento, ou que não pudessem, através do outro poder, aprimorar suas vidas espirituais e alcançar a iluminação

Isto requer sobre uma reflexão honesta das suas próprias limitações. Na mente de Shinran tal reflexão era o primeiro passo básico para o despertar e a libertação.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s